[layerslider id="15"]

Mais uma vez

Mais uma vez
01 jun 2018

capa orlando 89Mais uma vez, a experiência de vida sendo usada pra refletir sobre o networking. A esposa foi pro Brasil dez dias e fiquei tomando conta do restaurante. Neste período, brinquei com algumas pessoas que finalmente iria ver quem iria me visitar e quem iria para visitar a Re. Caderninho azul a parte, isso mostra como podemos medir o networking. Calma, esta é apenas uma medida, não desfiz amizades por isso. Quando digo que esta é apenas uma maneira de medir o networking, é porque é realmente difícil e muitas vezes arbitrário esse lance de medir sua rede de relacionamentos. Estas medidas podem ser comportamentos (ex. visitar, ligar etc.), podem ser de resultado (ex. fazer um pacote de produtos da copa chegar até a casa no Brasil) ou mesmo de crença (ex. acreditar que x y e z pessoas vão te ajudar se você precisar). Não importa qual seja a medida que você usará, é importante ter alguma.
A crença é a mais complicada, porque você pode acreditar que a pessoa vá te ajudar, mas isso pode não ser exatamente verdade. Quando você eventualmente precisa, descobre que a pessoa não estava assim tão disponível quanto você acreditava. Você pode fazer alguns testes simples para confirmar se a pessoa está disponível para você. Pode pedir algum favor (lembre-se do meu primeiro texto na revista: dever um favor é melhor que não ter relação nenhuma), pode pedir pra ela passar na sua casa ou te encontrar, por exemplo.
A maneira de medir por resultado, independe do esforço da outra pessoa da sua relação. Tem uma pessoa que me pediu uma entrevista de emprego em certa área de formação estes dias. Com uma ligação, pode ser que eu consiga esta entrevista pra ela. Poderia ser que eu tivesse que mover mundos e fundos para isso, mas não importaria, o que importa é o resultado (ter a chance da entrevista).
Finalmente, tem os comportamentos. É quando vemos (ou fazemos) um esforço para atingir algo, mesmo que o resultado desejado não seja atingido. Pode ser uma campanha onde pedimos assinaturas e temos que conseguir x mil assinaturas. Pedimos às pessoas de nossa rede e vemos as pessoas se movimentando, pedindo, se esforçando, indo a locais deixar listas etc., mas o resultado não atinge os x mil. De qualquer maneira, vimos o esforço das pessoas de nossa rede.
Independente de qualquer coisa, é importante medirmos se nossa rede está funcionando. De vez em quando poste algo, comente algo, ofereça algo ou peça algo, para testar mesmo a rede (só cuidado para não fazer muito isso, como “Pedro e o lobo” já nos ensinou).
Finalmente lembre-se que da mesma maneira que usamos alguma métrica para nossa rede, nossa rede usa uma métrica para julgar o quanto somos ativos nela. De nada adianta o que fazemos se não conseguimos passar a informação do que foi feito por nós. É a história da árvore que cai no meio da floresta e não tem ninguém por perto para ouvir. Ela fez algum som? Mostre a sua rede o valor que você gera a ela (claro, primeiro tem que gerar um valor real). Depois, aproveite as consequências disto.

Giuliano Garbi

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *