[layerslider id="15"]

Você doaria um rim para salvar a vida de um desconhecido?

Você doaria um rim para salvar a vida de um desconhecido?
15 dez 2018

BRAZILUSA SWFLORIDA 24 CAPA

Dia seguinte

Dia seguinte

Pois é, a Daniela Braga fez isso, doou um rim para uma pessoa que ela nunca tinha visto na vida. No dia 10 de Novembro ela e a Valeria Falstad -a receptora do rim – comemoraram um ano do transplante que aconteceu em 07 de Novembro de 2017, dia em que a Valeria diz ter nascido de novo, graças ao gesto de grandiosidade e de amor pelo ser humano que a Daniela teve.
“Estou muito feliz e tocada por participar de tudo isto e por poder oferecer esta chance para a Valéria, e posso dizer que recebi muito mais do que dei, graças a Deus. Que isto sirva de exemplo para que outras pessoas possam fazer o mesmo e salvar vidas”, enfatiza Daniela, que é católica praticante e frequentadora da Comunidade Católica de Santo Antônio, em Somerville, MA.
Daniela tem 37 anos, é casada, tem dois filhos e mora em Revere, MA., claro que para uma atitude dessa grandeza, Daniela contou com o apoio de seu esposo, Pacceli Braga, o qual sente orgulho da atitude da esposa.
Encontro de fé e generosidade

Dois dias depois da cirurgia

Dois dias depois da cirurgia

Apesar de estar muito doente e enfraquecida Valeria nunca perdeu a fé em encontrar um doador ainda em vida, já que estava há 8 meses na fila esperando por um doador compatível, que no seu caso poderia demorar até 8 anos já que o sangue teria que ser O + ou -. Ela já estava fazendo hemodiálise 3 vezes por semana e o sofrimento era grande, pois estava sobrevivendo sem nenhum rim.
Ela fez campanhas no Facebook, (CAMPANHA DOE UM RIM- VALERIA FALSTAD), jornais, revistas, blogs e etc… Tinha esperança e não desistiu de encontrar uma pessoa altruísta como a Valeria.

A Daniela viu uma postagem no Facebook de uma amiga em comum, se sentiu tocada, fez os exames com a certeza de que seria compatível.

Antes e depois do transplante

Antes e depois do transplante

Graças a fé e a generosidade das duas tudo deu certo. Agora são duas datas de aniversário para se comemorar, disse Valeria, que no dia 28 de Outubro completou 51 anos.
Valeria é ativista em campanhas de doação de sangue, doação de medula óssea, de órgãos em vida e pós morte.

Um ano depois
No dia 10 de novembro Valeria e Daniela comemoraram um ano em que se tornaram “irmãs de rins”.
Valéria afirmou que ganhou uma irmã para a vida. “Eu sempre tive muita fé e esperança que alguém iria estender a mão e me ajudar. Não sabia se demoraria, mas tinha uma voz dentro de mim acreditando”.
Daniela, por sua vez, disse que mesmo não a conhecendo antes, ficou sensibilizada com sua história e sentiu necessidade de dar um passo além e ajudá-la. “Sempre quis ter uma irmã e ela chegou”.
Ao serem indagadas sobre que o mudou após o transplante, Daniela diz que aprendeu a ser mais humana, ver o mundo e a vida na ótica e realidade dos outros. “A vida é muito boa quando você está feliz, mas quando você é capaz de fazer a felicidade de alguém, a vida se torna muito melhor. Certamente recebi muito mais do que fui capaz de dar”. Além disso, não sente nenhuma diferença em ter apenas um rim.

Comemorando um anos após o transplante

Comemorando um anos após o transplante

“Eu voltei a sentir disposição. Tinha muito cansaço, fadiga, passava mal, tinha dores nas costas, sangramentos, anemia forte”, lembrou Valéria, acrescentando que tem um sentimento mais forte de querer ajudar ainda mais as pessoas.
Elas frisaram que depois que a história do transplante se tornou pública, apareceram vários contatos de possíveis doadores. Dois estão em processo de avaliação para verificar se são qualificadas para a doação. É um processo muito sério e minucioso, no qual eles não colocam jamais a saúde e vida do doador em risco. Muitos se encorajaram a ser doadores de órgãos, mudando o status na carteira de motorista.
Valéria deixou como mensagem para as pessoas que estão esperando por um doador, que lute, acredite, tenha fé, positividade. Só você vai conseguir buscar o que precisa. “Eu nunca esmoreci, me mantive positiva e firme”.

Celebrando aniversário do transplante

Celebrando aniversário do transplante

Daniela lembrou que tudo fica muito mais fácil quando nos colocamos no lugar do outro. Se estivéssemos na fila do transplante ou um familiar em semelhante situação, certamente seria a maior alegria da vida se aparecesse algum doador. “A vida é muito passageira para vivermos tão cheios de egoísmo e não termos a percepção que a solução do problema do nosso próximo pode estar em nosso alcance. Sejamos a mudança que tanto gostaríamos de ver no mundo”, concluiu.
Como ser um doador: Em vida podem ser doados rins, fígado, pulmão e medula óssea. (fonte Ministério da Saúde).
Nos Estados Unidos para ser um doador a pessoa pode procurar um hospital e se cadastrar como doador de órgãos. De acordo com a legislação local, o doador não precisa ter nenhum tipo de parentesco com o receptor.
Que o mundo tenha mais pessoas generosas e altruístas como a Daniela!

OBS: Se você por motivo de saúde não puder doar sangue ou órgãos mas se sentiu tocado e quer ajudar alguém, na página seguinte (14) tem sugestões com nomes e telefones que você poderá colaborar de alguma forma.

E você, quer ajudar alguém de alguma forma?

Além de doação de sangue, órgãos e medula óssea, existe outras formas de ajudar. Abaixo pessoas e instituições que freqüente ou eventualmente, promove atividades ou eventos filantrópicos:
Andrea Bastos (239)826-7145
Realiza uma festa de natal com recursos próprios e todo dinheiro arrecadado da venda dos convites é destinado a uma instituição/ONG Americana.
Caravana do Amor (239)728-1130 Beth Pacífico
Visita asilos duas vezes por mês. As visitas são com música, dança, dando alegria aos “velhinhos” e muitos deles só tem a Caravana como visita.
Centro Espírita Seeds of Light (239)728-1130 Beth Pacífico
Evento Beauty Day a cada dois meses. O dinheiro arrecadado mantém a instituição e ajuda necessitados no decorrer do ano.
Flor friend’s Foundation (239)229-2995 Marcia Flor
Um grupo de amigos dá uma contribuição mensal do valor que puder e no final do ano o dinheiro é enviado para uma instituição de crianças na Bahia.
Fundação Help to Others (H2O) (239)410-7328 Denise
Realiza o evento Brazilian Day Fort Myers que reúne a comunidade Brasileira com show, barracas e etc…O dinheiro arrecadado é revertido para compra de material escolar que é enviado ao Brasil para atender comunidades carentes.
Igreja Católica Sagrada Família (239)823-7867 Elinton
Na quaresma pede-se as pessoas colocarem moedas nas garrafinhas de água vazias e o dinheiro é entregue ao hospital filantrópico St. Jude, que cuida de crianças com câncer.
Igreja Ministério Fé em Ação: (239)224-0760 Pastor Anderson
Recolhe roupas, sapatos e doação em dinheiro para construção e manutenção de escola e obras assistênciais no Haiti.
Let’s Talk About Children (LTAC): (239)633-7094 Adel Pimpignano
A fundação promove um evento por ano e o dinheiro arrecadado ajuda crianças necessitadas no US, Brasil e Quenia.
Outreach and Care Foundation (239)850-3809 Katia Moreira
Doadores fazem contribuição mensal e o dinheiro arrecadado é enviado à Bahia e São Paulo para escolas, ONGs e pessoas físicas necessitadas.
SOS EB (Epidermólise Bulhosa) Kids (917)861-7678 Tania Bezerra
Esta é uma ONG que que ajuda crianças no Brasil que tem esta dolorosa doença. A SOS EB oferece apoio material, emocional e informativo.
The Gabriel House (239)560-7345 Ed and Ennie Ravish
A fundação recolhe, cuida e cria crianças carentes e abandonadas, sendo a maioria com problemas de saúde físico e mental. Sua ajuda pode ser financeira e de trabalho voluntário.
A revista SW Florida Brazilusa divulga, faz cobertura, parceria e colabora com os eventos beneficentes locais. Basta Contatar (239)209-2006 Tania Cardoso.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *