[layerslider id="15"]

Tarsila do Amaral

Tarsila do Amaral
02 nov 2018

CAPA BRAZILUSA SOUTHFLORIDA SETEMBRO_OUTUBROTarsila do Amaral foi uma das mais importantes pintoras brasileiras do Movimento Modernista e é considerada a grande responsável por mudar o rumo das artes no Brasil. Nasceu em 1º de setembro de 1886 na cidade de Capivari (interior de SP) e passou a infância em meio a natureza na fazenda da família. Faleceu aos 86 anos deixando um legado indiscutível na captação da alma brasileira, usando técnicas aprendidas nos seus estudos no exterior para figurar coisas da sua terra.
Tarsila sempre viajava ao exterior, mas gostava muito de viajar pelo Brasil. Em uma de suas viagens a Minas Gerais, encontrou-se com as cores da sua infância e apaixonou-se pelas decorações populares das casas do interior. Nesse período juntou-se ao movimento PAU BRASIL (1924 a 1927) e suas pinturas nessa importante 1ª fase se enchem de brasilidade. Levou para suas novas telas as cores da natureza, a cultura popular, o homem rude, as paisagens rurais e exaltou flora e fauna com seu azul puríssimo, rosa violáceo, amarelo vivo e o verde cantante!
Em 1928 Tarsila pinta uma tela que foi dada de presente ao seu segundo marido, o escritor Oswald de Andrade, tornando-se sua obra mais famosa e conhecida. O nome ABAPORU, significa ANTROPÓFAGO (homem que se alimenta de carne humana) pois na língua Tupi-Guarani, ABA significa homem e PORU, comer. A artista descreve o quadro como sendo imagens do seu subconsciente, sugeridas por histórias que ouvia quando criança.
O Movimento Artístico e Literário Antropofágico foi criado pelo grupo de artistas brasileiros, que formaram o GRUPO DOS CINCO, entre eles: Tarsila do Amaral, Oswald de Andrade, Anita Malfatti, Mario de Andrade e Menotti del Picchia. Essa aliança de artistas, visava mudar o cenário histórico-cultural e artístico do País, bem como trazer para a cultura brasileira as influências das vanguardas europeias, assimilando outras culturas, mas não copiando-as.
Na década de 30, após ter perdido a sua fortuna pessoal, Tarsila vende alguns quadros de sua coleção particular e parte para Paris, passando antes pela União Soviética. É nessa época que ela tem contato com a miséria e o drama vividos pela classe operária e voltando ao Brasil carregada dessas novas experiências, inicia sua terceira e ultima grande fase, a “Social” que dura aproximadamente 4 anos. Sua tela “Operários”, de 1933, tornou-a pioneira dessa temática no Brasil, estampando a realidade da classe operária que não tinha direitos trabalhistas. Mais tarde, a artista retornaria aos temas de fases passadas, além de inserir novos elementos como o religioso.
A família da pintora Tarsila do Amaral, que cuida de todo o seu patrimônio artístico, criou junto com a By Kami, empresa brasileira especializada em tapetes, uma coleção de tapeçarias toda feita a mão na técnica Aubusson. São reproduções das obras mais importantes da artista, todas numeradas e com certificado de garantia, emitidos pela família que detém os direitos das obras. No segundo semestre de 2018, o Sul da Flórida recebeu esse tesouro através da galerista Marilia Cavalcante, que abriu o maravilhoso espaço da sua Art Design Gallery para expor 20 tapetes de grandes dimensões.
No mês seguinte, a concorrida Feira de Arte “Art Brazil”, através da sua curadora Jade Matarazzo, incluiu na sua 6ª edição, uma sala especial para homenagear essa grande figura do Modernismo, expondo 10 tapeçarias selecionadas para o evento que aconteceu no ArtServe em Fort Lauderdale.

Clara Piquet

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *