[layerslider id="15"]

O meu jardim!

O meu jardim!
01 ago 2018

CAPA BRAZILUSA ORLANDO 91Este mês vou falar de jardim. Mais especificamente do meu jardim. Pequeno, no fundo da casa. Algumas vezes chamado carinhosamente de floresta pela esposa. Mas é um jardim que me dá muita alegria.
Comecei plantando porque gosto de ervas frescas e queria algumas plantas que não são fáceis de encontrar aqui (atenção, trazer mudas ou sementes ao EUA é ilegal!). Tudo achado aqui ou comprado online, acreditem ou não (caju comprado na gigante do varejo, vale?).
Depois me vi curtindo o jardim porque era algo que eu podia ter metas de curto prazo e elas aconteciam rapidamente, como a salsinha e cebolinha ou o maracujá que cresceu em seis curtos meses e virou uma baita planta.
Mas o mais legal eu descobri quando justamente o maracujá acima começou a dar frutos. O poder do jardim definido em duas palavras: assunto e compartilhamento.
Falar sobre jardim é interessante. Mesmo quem não gosta de plantar, brilha o olho quando falo que tenho maracujá fresco. A esposa é dessas. Não gosta do matagal, mas adora uma caipirinha de maracujá fresco. E tem muita gente assim, que não quer plantar, mas falo da acerola e já fica interessado. Pode ser no processo de como consegui, com quem etc. para aqueles que gostam de jardinagem. Pode ser simplesmente uma lembrança do sabor, mas o fato que ganhei um assunto extra para conversar com as pessoas.
Mas o mais legal veio com a descoberta do que o jardim pode oferecer como compartilhamento. É você oferecer um maracujá para um amigo. Fortalece a relação. Ajuda a fazer o outro mais feliz quando está perto de você (não é este o objetivo?). E mais que isso, tem gente que quer começar o jardim. Algo simples como plantar sementes de maracujá e esperar a natureza fazer seu trabalho, rende encontros com amigos que vieram buscar o pequeno ser. E que vão lembrar de você toda vez que regarem o maracujá, que ele der flor e fruto….
Lembram quando falei que o importante é se manter presente para as pessoas, amigos e contatos. Pode ser ligando, mandando mensagem, tomando café ou com um simples maracujá. Só é preciso achar o que te liga as pessoas à sua volta. Boa sorte na procura!

Giuliano Garbi

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *