[layerslider id="15"]

Empreendedorismo com Fabio Ruiz Cerqueira – membro do Comitê Executivo do LIDE.

Empreendedorismo com Fabio Ruiz Cerqueira – membro do Comitê  Executivo do LIDE.
03 dez 2018

BRAZILUSA ORLANDO 94 CAPAA partir da edição deste mês, vamos iniciar uma série de entrevistas com membros do Comitê de Gestão do LIDE, a fim de inspirar aqueles que tem o sonho de empreender.
Um grupo de líderes empresariais. Este é o LIDE, uma organização que tem como objetivo promover e incentivar as relações empresarias, discutindo temas econômicos, políticos e sociais de interesse nacional.
A direção do LIDE é exercida por um Comitê de Gestão, composto por executivos de grandes corporações, empresários, e especialistas em diversas áreas de atuação, que tem como missão orientar, avaliar e decidir sobre as diretrizes do Grupo de Líderes Empresariais.
Fabio Ruiz faz parte deste time e possui um extenso e maravilhoso currículo que vale a pena ser citado e inspirado. Empresário, Especialista e Mestre em Direito, ele foi professor de Direito Internacional Público e Privado, Orientador Científico em cursos de Pós-Graduação e também professor palestrante convidado em diversos cursos de MBA Executivo em Gestão Corporativa, Logística, Administração, Finanças e Comércio Exterior.
Em 2001, ao lado de sua esposa Maristela Rocha, eles fundaram sua própria Companhia que foi um sucesso! Tornou-se Diretor-Presidente em 2008, onde dirigiu e gerenciou todas as áreas estratégicas e de negócios (Planejamento Estratégico, Marketing, Vendas/Comercial, Finanças, Recursos Humanos, T.I. e Operações de Infra-Estrutura). Através de sua liderança, a empresa cresceu de 40 (ano de 2008) para 3.500 funcionários (ano de 2014). Durante mais de 15 anos, sua companhia representou as 26 empresas mais importantes do Brasil (bancos, seguradoras, financeiras de montadores de veículos, empresas de petróleo, telecomunicações, administradoras de cartão de crédito, varejistas, indústrias, empresas de serviços).
Com mais de 90 prêmios de performance e qualidade, a empresa também foi reconhecida pela Revista Exame PME/ Deloitte, duas vezes consecutivas, como a empresa média que mais cresceu no Brasil, tendo o quinto lugar em 2012 (Triênio 2009-2011) e primeiro lugar em 2013 (Triênio 2010-2012). Todo o sucesso também foi destaque em 2013 no MergerMarket, uma agência de notícias do Financial Times Group de Londres, com abrangência em 65 cidades nas Américas, Europa, Ásia-Pacífico, Oriente Médio e África. Em 2015, a companhia foi considerada “Case Mundial de Collection” pela Aspect, empresa americana líder de soluções em interação: WorkForce Optmization e Backoffice.
Porém, depois de anos de sucesso, em 2015, com 4.000 funcionários, duas unidades operacionais e seis escritórios regionais, Fabio Ruiz Cerqueira recebeu uma oferta de aquisição de 75% das suas ações na Cia por um Fundo de Private Equity, tendo realizado 100% da sua saída em dezembro de 2016.
Hoje, Fabio é investidor profissional no Mercado Financeiro e em Startups de segmentos variados, nos modelos de Anjo, Seed e Venture Capital. Membro do Comitê Executivo do LIDE, conselheiro e mentor de empresas em crescimento e desenvolvimento no Brasil e nos EUA.
Hora do “bate-papo”!

Orlando: Você atuou como Professor de Universidade, depois fundou a sua própria Cia. Como foi essa mudança?
FRC: Na verdade já havia fundado a empresa quando, na minha época de Mestrado, recebi um convite para assumir a Cadeira de Direito Internacional de uma Universidade em São Paulo. Depois disto vieram outros convites para dar aula em Cursos de Pós Graduação e também nos cursos de MBA Executivo de Outras Universidades. Isto era algo que realmente eu adorava fazer. Estava altamente motivado com os projetos acadêmicos e com várias oportunidades e convites para dar aulas em algumas Universidades no Brasil. Estava publicando artigos e participando de vários projetos acadêmicos com publicações de interesse nacional. Infelizmente a minha atividade Corporativa exigia muito do meu tempo e as atividades acadêmicas acabaram se tornando incompatíveis com meu dia-a- dia na empresa. Era hora de definir as prioridades. Temos que ter foco. Acabei me desligando da vida acadêmica para focar somente na minha Cia. Foi a escolha certa.
Orlando: Sua Cia Cresceu exponencialmente. Saltou de 40 funcionários em 2008 para 4000 no ano de 2015. Como é lidar com esse crescimento e gerenciar esse grande número de pessoas?
FRC: Realmente o crescimento foi o maior desafio que enfrentamos. O grande desejo do empreendedor é tornar grande o seu Business e expandir as suas operações mas, muitas vezes, ele não leva em consideração que o crescimento pode apresentar enormes dificuldades. Nós tínhamos esta consciência e trabalhamos forte para profissionalizar a Cia durante este processo de crescimento. A empresa foi fundada por mim e pela minha esposa. Foi um momento de transição do modelo familiar para um modelo de negócio altamente profissionalizado, com investimentos principalmente nas áreas de Governança, Infra-estrutura e tecnologia, Recursos Humanos e Planejamento Estratégico. Não é possível enfrentar o crescimento sem profissionalização das suas atividades. O grande desafio é crescer sem perder qualidade e performance. Só assim você cria uma empresa sustentável.
Orlando: Como a experiência de empreendedores brasileiros vencedores pode ajudar novos empreendedores nos EUA?
FRC: Experiência é fundamental para que o negócio se torne altamente sustentável. Apesar do Brasil, mesmo em crise, ainda ser uma das maiores economias do mundo, ele também é um país, de acordo com vários Institutos Internacionais renomados, dos mais hostis e complexos do mundo para se fazer negócios. Isso é resultado não só da baixa eficácia do governo, mas especialmente de um sistema tributário dos mais onerosos e desleais do mundo, infra-estrutura de escoamento deficitária, inflexibilidade da legislação trabalhista e também da escassez de competências profissionais especializadas. Para ser um Empreendedor vencedor no Brasil exige-se habilidades sofisticadas para enfrentar as adversidades deste Pais tão hostil para se fazer negócios. E evidentemente que todas estas habilidades e experiências adquiridas ao longo da jornada de um Empreendedor ou de um Executivo brasileiro podem ser extremamente úteis e aplicadas para novos empreendedores não só aqui nos EUA mas em qualquer outro lugar do mundo. O Brasil é uma grande escola da qual se adquire um conhecimento e uma habilidade de viver e vencer uma crise por dia.
Orlando: Nós sabemos das diferenças entre as legislações trabalhistas Brasileiras e Americanas. Do seu ponto de vista qual a diferença entre os dois países? Qual legislação oferece mais segurança jurídica pra quem quer empreender?
FRC: A diferença básica é que enquanto de um lado as definições legais são claras e precisas tanto no modelo de contratação (sob o aspecto da liberdade contratual) como no ato da dispensa de um empregado (sem burocracias para o encerramento da relação), que é o caso dos Estados Unidos, do outro, no Brasil, há um emaranhado de leis principais, leis acessórias e adjacentes, que devem ser observadas no ato da contratação e da dispensa do funcionário. Diferentemente dos EUA que trata as relações trabalhistas de forma mais objetiva – sendo considerada uma das mais flexíveis legislações trabalhistas do mundo – , no Brasil ainda há prevalência de um sistema Judiciário que protege demasiadamente o trabalhador (visão, é verdade, que tem se alterado bastante nos últimos anos, embora ainda incipiente). Os direitos e garantias do trabalhador também são muito diferentes nos dois países, a exemplo das férias remuneradas (Brasil) – via de regra não existe nos EUA, prazos maiores para a licença maternidade com remuneração (Brasil), 13 Salário (Brasil), encargos trabalhistas sobre o salário nominal entre 80% a 120% (Brasil), contra 9% a 43% aproximadamente (EUA). São inúmeras as diferenças entre os países neste quesito, apresentando os EUA, sem dúvida alguma, um sistema muito mais equilibrado e incentivador ao desenvolvimento da atividade empreendedora do que o sistema brasileiro.
Orlando:Todos nós temos um motivo para migrar para outro País. Qual ou quais foram os seus motivos e porque escolheu os EUA?
FRC: Várias foram as razões que me levaram a esta escolha. A Segurança foi a principal delas, ao lado do qualificado sistema de ensino americano especialmente as Universidades. Não só para os meus filhos mas também para mim que pretendo dar continuidade na carreira acadêmica, aqui estão as melhores Universidade do mundo. Além disto, todas as facilidades e os incentivos que o País oferece para se empreender. As regras são claras, o sistema tributário é altamente funcional e há, sobretudo, respeito e valorização das relações contratuais.
Orlando: Muitas pessoas que o conhecem mais profundamente sabem que você dificilmente voltará a uma atividade executiva. O que te levou a aceitar e a participar da Diretoria Executiva do LIDE nos EUA?
FRC: Primeiramente é fato que não tenho nenhuma pretensão de exercer qualquer função executiva de gerenciamento. Quando recebi o convite de participar da Diretoria Executiva do LIDE feito pelo nosso Presidente Carlos Arruda, por quem aliás guardo profundo respeito e admiração por ser uma das pessoas mais íntegras inteligentes que tive a oportunidade de conhecer, fiquei extremamente honrado pela oportunidade de compartilhar ideias e experiências com executivos e empresários de altíssimo conhecimento dentro da nossa Diretoria. No LIDE temos um propósito comum que é desmistificar a ideia negativa que paira sobre empreendedores brasileiros nos EUA. Nós acreditamos na força, na competência e na qualidade das pessoas que estão fazendo ou que tem interesse em fazer negócios nos Estados Unidos. Nossa função é conectar estas pessoas através de um relacionamento ético e também de compartilhar com os associados toda a vasta experiência e conhecimento dos membros da Diretoria Executiva e dos Palestrantes de altíssimo nível que tem participado dos eventos do LIDE.
Orlando: Como a sua experiência empresarial pode ajudar os brasileiros que atualmente empreendem na América ou ainda estão em dúvida sobre abrir uma empresa nos EUA?
FRC: O privilégio de ter criado uma empresa e a vantagem de ter estado a frente da grande Cia na qual ela se transformou, faz com que a experiência que adquiri seja muito além daquelas que se obtém nas páginas de um livro ou de um curso de gestão executiva. Dedicar 16 ou 17 horas por dias durante anos da minha vida a uma atividade empresarial intensa, me forçou a desenvolver competências que até então eu desconhecia. É o enfrentamento da vida real empresarial conflituosa como ela é. Acredito que compartilhando essas experiências com os associados e empreendedores que buscam o nosso aconselhamento no LIDE é uma forma bem pratica de ajudar os empreendedores nos seus ambientes de negócios.
Orlando: Qual a importância para estes empreendedores brasileiros buscarem informações e novos conteúdos para o desenvolvimento dos seus negócios nos EUA?
FRC: Atualização e conhecimento são as ferramentas mais importantes para um empreendedor de sucesso. Estar conectado à conteúdos de alto nível é, na verdade, o grande diferencial competitivo que uma empresa ou um empreendedor podem ter. O conhecimento forma grandes líderes e grandes líderes tem sede de conhecimento e de buscar novos conteúdos. Na minha vida de empreendedor o Capital intelectual (a inteligência, a habilidade e o conhecimento humano), sempre teve mais eficiência do que o Capital Financeiro. Mais adequado ter Inteligência e habilidade para lidar com as adversidades originadas pela falta de capital do que ter o dinheiro disponível e não saber a forma correta de emprega-lo.
Orlando: Você é membro do LIDE em Orlando. Qual a sua atuação na organização e como o LIDE tem contribuído para o aperfeiçoamento do empresário brasileiro na cidade?
FRC: A minha atuação é dentro da Diretoria Executiva que se reúne periodicamente para discutir diversos assuntos pertinentes à sociedade empresarial brasileira em Orlando e sobre o desenvolvimento desta atividade empresarial na cidade. Costumamos dizer nas nossas reuniões internas que nenhum de nós tem mais ou menos experiência que os outros. Temos apenas experiências diferentes. A nossa contribuição é justamente levar à comunidade brasileira e também para a comunidade americana da Cidade todas estas experiências, que agregadas ao conteúdo exclusivo dos nossos Palestrantes, com elevado nível de conhecimento, produzem significativa colaboração aos eventos e à todos os participantes.
Orlando: Sempre gostamos de ouvir bons conselhos. O que você diria para quem quer começar a empreender em “Terra Americana”?
FRC: Cautela é a palavra de ordem. Quem tem cautela faz as coisas pautadas na razão e não na emoção. Os EUA é um país maravilhoso para empreender, é um país que valoriza o desenvolvimento da atividade empreendedora, mas as maravilhas também podem representar muitas armadilhas. Diferente de um mercado emergente como é o Brasil, os EUA tem as suas estruturas comerciais e empresariais consolidadas. Grandes empresas e conglomerados estão presentes em todos os segmentos. O mais importante é não amparar as suas pretensões de empreender somente no seu ‘faro’ ou na teoria do achismo, mas, sobretudo, realizar uma pesquisa mercadológica de como funciona o seguimento que se pretende entrar e se realmente há espaço para a sua atividade dentro deste mercado. O maior erro que temos percebido no LIDE é o empreendedor considerar que o que funciona ou o que é bom do Brasil também será sucesso aqui nos EUA. Este é um grande erro. O modelo de replicar negócios originários de um país em outro, pode ser uma escolha errada para se iniciar um projeto, principalmente para aqueles que vem com capital limitado. O que funciona em um lugar pode não necessariamente funcionar em outro. A melhor forma de evitar erros é sempre buscar o aconselhamento de profissionais que estão acostumados ao ambiente de negócios americano. É a forma mais eficiente de pular as etapas que podem ser desastrosas.

 

Caro leitor:

A partir de janeiro, iniciarenos uma série de entrevistas com o Comitê Executivo do LIDE e gostaríamos de contar com sua participação!
Já imaginou sua pergunta sendo respondida nesse espaço? Seria incrível, não acha?
Então, se você têm dúvidas ou apenas quer fazer uma pergunta relativa ao empreendedorismo na América, envie um e-mail para:
redacaoorlando@brazilusamagazine.com.
Sua dúvida poderá ser publicada aqui!
Contamos com a participação de vocês.

Até a próxima edição!

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *