[layerslider id="15"]

Sobre abrir portas

Sobre  abrir  portas
04 maio 2018

Capa Brazilusa Orlando edição 88 capa“Conhecer pessoas abre portas.” É disso que se trata o gerenciamento do networking. Mas o que significa esta frase, afinal? O abrir portas significa simplesmente te colocar na frente da pessoa “certa”. Isso não significa que vc terá o que quer, mas que terá a chance de se mostrar e talvez conseguir o que quer. Isso é muito diferente do famoso QI (quem indicou). Os seus contatos te farão ter a chance, e cabe a você e a sua experiência aproveitar a chance.
Não estamos falando somente de trabalho, apesar de ser uma parte importante de nossa vida. Por exemplo, você pode ter o sonho de conhecer alguém e algum amigo seu intermediar este encontro (e não é que o pessoal do “Porta dos Fundos” foi ao restaurante?). Pode ser um colecionador de artigos retrô que não sabia sobre a feira de Mont Dora. Podemos colocar as pessoas em contato, mas ser simpático o suficiente pro pessoal do “Porta” curtir a conversa; ou achar aquele item raro, vai da competência e simpatia da pessoa que foi colocada ali.
Mas para colocar você ali, os seus contatos tem que saber que você quer isso. Não basta ser amigo ou conhecido, tem que saber o que você quer e busca. Se eu não sei que meu amigo gosta de artefatos retrô, não vou indicar a feira. Por isso é importante manter o contato, buscar informações sobre as pessoas da sua rede (para ajudá-las) e atualizar a sua rede sobre você, o que busca e o que gosta.
E não estou falando apenas sobre informações, mas também sobre reputação. Quando falamos bem de alguém para outro, estamos construindo a reputação da pessoa. Quando comento com um amigo que gosta de carros sobre um outro amigo mecânico, estou movimentando a rede de contatos e alterando as reputações – quando o amigo buscar um mecânico, ele pode levar em conta o que falei. E isso coloca o mecânico na dianteira por trabalho. O mesmo vale para relações pessoais. Usamos nossa credibilidade para chancelar e dar credibilidade ao outro, afinal, se ele anda comigo, deve ser da “mesma espécie”.
Só por isso de abrir portas já valeria a pena encarar o networking como dever (sem contar melhorar o mundo etc). Mas um último aviso: a mesma força que abre uma porta, também a fecha. O outro lado do networking é que, caso você pise na bola com alguém, as chances de as portas estarem fechadas quando você precisar de algo, aumentam. Cuidado com o uso. E isso quer dizer que você deve escolher como tratar sua rede, não deixar as coisas acontecerem somente, tanto para aumentar suas chances quanto para se proteger delas diminuírem.
Gerencie. De uma forma que todos ganhem, porque assim você também ganha.

Giuliano Garbi

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *