[layerslider id="15"]

“Caixa de Tampa Dourada”

04 dez 2018

CAPA BRAZILUSA ORLANDO GOSPEL 19Você costuma tirar fotos com a sua família? Você imprime essas fotos? Você já pensou na importância que essas fotos terão para as próximas gerações?

Lembro de todas as vezes que pedia para minha mãe pegar a caixa na qual ela guardava o bem mais precioso que ela tinha: sua história. Então ela abria a caixa e espalhava todas as fotos em cima da cama, e ansiosamente eu pegava uma a uma e mesmo sem perguntar ela me contava a história com os mínimos detalhes de cada foto. A emoção que ela passava ao descrever o momento daquele clique, me fazia sentir dentro da foto, usando as mesmas roupas, sentindo o cheiro da maresia ou das montanhas, das comidas, e vivenciando pessoas que nem mesmo conheci. E assim passávamos horas juntos se deliciando, dando gargalhadas e até mesmo chorando com lembranças e saudades dos avós, bisavós e parentes que já se encontram ao lado do nosso Deus.
Quando tiramos uma foto de família devemos pensar no que ela representará nas próximas décadas para a geração de seus filhos, netos e assim por diante.
Cada família tem uma história linda a ser contada e eternizada, e cada vez mais tem se perdido esses registros por conta, de certa forma, da popularidade e facilidade de fotografarmos com celulares. Ora, mas isso não seria bom? Sim e não… A famosa “selfie” com os amigos, familiares, nos restaurantes, parques, passeios e etc, acabam

Claudio Castanhola Fotógrafo Profissional autor do livro “Pai & Filho, crônicas e fotografias”

se perdendo em pouco tempo por, na grande maioria das vezes, não serem impressas. Falta de memória nos aparelhos celulares nos obrigam a “deletar” as antigas para ter espaço para as mais recentes. Isso sem se falar na perda ou roubo do aparelho onde suas fotos se vão.
Eu me acho bastante tradicionalista na questão de imprimir, por mais que a foto possa a vir perder cores, nitidez e ter aparência de envelhecida, ela tem muito mais chance de passar por diversas gerações do que aquelas que por mais cuidado que você possa ter com armazenamento digital em CDs, HDs, Pendrives e sistemas de nuvens, um dia poderemos perder acesso a essas fotos por esses sistemas ficarem obsoletos ou até mesmo esquecimento de senhas.

Gostaria de deixar três recados:

Minha Mãezinha – 79 anos – Maria de Lourdes Castanhola Nordhaus

Primeiro, a fotografia de família, independente da época, é a mistura de todos os tipos de sentimentos que podemos deixar como legado. Em segundo, imprimam suas fotos, as futuras gerações poderão curtir e compartilhar o seu presente, e por último, tenham a sua “Caixa de Tampa Dourada”.
“Mas a misericórdia do Senhor é de eternidade a eternidade, sobre os que o temem, e a sua justiça, sobre os filhos dos filhos, para com os que guardam a sua aliança e para com os que se lembram dos seus preceitos e os cumprem.”
Salmos 103:17-18‬‬‬‬‬‬‬‬

 

 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *