[layerslider id="15"]

Alimentação dos escolares

Alimentação dos escolares
06 jul 2018

capa south florida maio junhoA boa alimentação é fundamental para o crescimento e desenvolvimento adequado de crianças e adolescentes, além de influir positivamente no rendimento escolar. Por outro lado, as consequências das mudanças no padrão de consumo alimentar observadas, nas ultimas décadas, são motivo de crescente preocupação, uma vez que acarretam sérios problemas de saúde, como obesidade, doenças cardiovasculares, diabetes, osteoporose, câncer, entre outros.
A partir dos 6 anos, a criança começa o despertar o interesse pelos alimentos e a família deve aproveitar essa curiosidade para incentivar a formação de bons hábitos alimentares, com uma dieta bem diversificada e estimulá-las a preparar seus próprios lanches – atitude saudável e educativa.
A refeição além de nutrir, é uma atividade social e agradável.

• Estimule a criança a comer legumes e saladas, através do exemplo dos adultos. A alimentação precisa ser semelhante a toda sua família.
• Faça pelo menos uma refeição em família, todos sentados à mesa. Mude a rotina e favoreça a convivência familiar;
• Mantenha horários regulares para todas as refeições, a criança sente-se mais segura. Não ofereça alimentos entre as refeições;
• Eventualmente, pode-se trocar as refeições por lanches e fazer piqueniques, pois favorece a experimentar novos alimentos;
• Não recompensar nem ameaçar a criança;
• O ideal é oferecer líquidos a cada 30 minutos. Até os 11 anos de idade o ideal é 1,5 l. de água ao dia. Entre, água, sucos naturais, chás e frutas que ajudam a evitar a desidratação.
• Tente não disfarçar legumes e verduras. O ideal é consumir 3 tipos diferentes de legumes e verduras cruas e 2 a 4 tipos de legumes cozidos que podem ser adicionados em outras preparações como sopas, tortas ou no arroz;
• Varie a apresentação da alimentação das crianças, com cardápios coloridos e atraentes, mas sem muita sofisticação;
• Nesta idade a criança deve determinar a quantidade de alimentos que deseja colocar no prato. Assim, os pais respeitam e incentivam sua independência;
• Frutas: nessa idade o ideal é que consumam ao longo do dia 3 porções de frutas diferentes;
• Leite: nessa idade já não há tanta necessidade de leite ao dia, pode variar trocando por iogurtes ou queijos, ou ainda, o leite pode ser utilizado em outras preparações;
• Carnes: a criança pode consumir qualquer tipo de carne, como a de boi, frango, peru, porco e peixes. Esses alimentos são boas fontes de proteína e ferro. Consuma 2 pedaços pequenos ao dia;
• Ovos: são alternativas para a substituição da carne e variar o cardápio, além de serem muito nutritivos. Prefira os ovos caipiras;
• Cereais, Pães e Massas: esse grupo de alimentos é à base da alimentação. Prefira os pães e massas integrais, pois são mais nutritivos. Ex: arroz, massas, trigos, cereais matinais, pães, biscoitos, mandioca, inhame, batata, batata doce, cara, aveia, quinoa, e farinhas em geral;
• Leguminosas: alimentos fontes de proteínas e nutrientes importantes para o crescimento infantil. Ex: feijão carioca, feijão branco, lentilha, ervilha, grão de bico, feijão preto, feijão azuki;
• Oleaginosas: castanha do para, amêndoas, avelãs, castanha de caju, pistache, nozes e macadâmia;
• Gorduras: a gordura de boa qualidade é vital para o desenvolvimento infantil. Utilizar o azeite de oliva extra virgem para a finalização dos pratos ou nas saladas.
• Chocolates e guloseimas: embora não sejam proibidos, procure não oferecer esses alimentos para as crianças nessa faixa etária, pois não fazem falta numa alimentação saudável. Caso ofereça deve ser sempre em quantidades limitadas e ocasionalmente.
• Não ofereça refrigerante, para que não se torne um hábito no dia a dia. Dê preferência aos sucos sem açúcar;
• Aditivos alimentares: cuidado! O ideal é que não se utilizem esses produtos ou limite a quantidade.
• Corantes artificiais: encontrado em refrescos, refrigerantes, gelatinas em pó, chocolates, bolachas recheadas, balas, chicletes, pó para sucos e alimentos industrializados em geral. Danos à saúde, hiperatividade, irritabilidade, alergias e asma.
• Glutamato monossódico: encontrado em temperos prontos, caldos industrializados, salgadinhos, sopas prontas, shoyo, molho inglês e alimentos industrializados em geral. Danos à saúde: dores de cabeça, alergias, depressão e cancerígeno.
• Estimule a criança a ajudar no preparo de alguns pratos na cozinha; faça compras com ela em feiras livres ou mercados;
• Equilíbrio na alimentação é fundamental para um bom desenvolvimento físico, emocional e mental.
• Cultivar bons hábitos, mais saudáveis, como boa alimentação, praticar atividade física e valorizar o lazer em contato com a natureza, são fundamentais para a melhora da qualidade de vida.

Priscila Bongiovani

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *